• Home
  • Reuniões
  • Aprendizado
  • St Katharine Drexel
  • Mensagens de Jesus
  • Membros
  • Contato

SCC Maria

t2

Às vezes, ou quase sempre, se torna bastante complicado entender a história do Povo de Deus lendo-se somente a Bíblia porque não estamos acostumados à Geografia e à Organização Política que existia em cada fase dessa história. Ao nos familizarizarmos com estas informações, se torna muito mais fácil compreender os movimentos, viagens, migrações, e mesmo divisões e conquistas que geraram o pano de fundo de todos os acontecimentos narrados nas passagens Bíblicas.

A Geografia e Organização Política durante a história do Povo de Deus

MAPAS BÍBLICOS

As viagens de Abraão

O objetivo desta página é simplesmente o de agrupar em um único local tais informações para que sirvam de consulta quando queremos entender melhor esta história que também é nossa. Tais mapas foram coletados em diversas fontes diferentes, e sempre que possível, serão acompanhadas de informações adicionais para adicionar ainda mais detalhes que facilitem o entendimento geral. Ao clicar em cada mapa, uma versão ainda maior será exibida para que possa ser examinado a fundo.

Com Abraão se inicia o tempo dos Patriarcas, sendo ele o primeiro ao aceitar o chamado de Deus para sair de Ur dos Caldeus com sua família e se dirigir para a terra que lhe seria entregue (Canaã). Abraão é considerado Patriarca das religiões Judaica, Cristãs (Católicos e Protestantes), e mesmo da religião Islâmica (descendentes de seu filho - Ismael - com a escrava de Sarah, Agar).

Também é com Abraão que o Povo de Deus começa a se chamar "Hebreu", ou "ʿIvrim" em Hebraico, que significa "povo do outro lado do rio". Somente no Egito passariam a ser conhecidos como Israelitas, ou descendentes de Israel (Jacó).

Os mapas foram, dentro do possível, organizados em uma ordem cronológica, para que possam ter um sentido mais fácil de compreender.

O Jardim no Éden

Éden não era o nome do Jardim, e sim a região onde se encontrava (Gn 2: 8). A Bíblia menciona que havia um rio (nome não informado) que nascia no Éden e que criava outros quatro ríos (Fison, Geon, Tigre e Eufrates). Obviamente a localização do Jardim, de fato, não é importante, mas segundo os relatos Bíblicos, o mais provável é que se encontrasse na região mostrada no mapa, coincidentemente, parte do conhecido Crescente Fértil, em meio a terras bastante desérticas.

Esta região do Éden se localiza hoje em meio a territórios do Irã, Iraque, Turquia, Armênia, Adzerbajão, etc.

A tradição judaico-cristã atribui um simbolismo da saída do Jardim (do Leste para Oeste) como um afastamento de Deus. Este entendimento afetou inclusive a orientação "geográfica" da construção dos Templos (de Salomão e de Herodes, o Grande), mantendo o "Santo dos Santos" na porção Oriental dos mesmos, indicando que o caminho de Volta ao Senhor sempre ocorreira neste sentido.

Ararat, Noé e sua descendência

O Ararat na verdade não é somente um monte mas uma verdadeira cordilheira que se estende desde o Mar Cáspio até o Mar Negro. Apesar de muito sensacionalismo, ainda não há nenhum registro confiável sobre os "Achados da Arca de Noé".

Não há registro bíblico de em qual região viveu Noé. Para efeitos de entendimento da História do Povo de Deus, muito mais importante é a história de seus descendentes: Sem, Cam e Jafé.

Em Gn 9: 20-29, conta-se a história de que Cam ridicularizou seu pai Noé que, durante uma embriaguez, apareceu nú na tenda, enquanto que seus outros dois filhos o cobriram, andando de costas, para não ver a nudez de seu pai. Ao acordar e se dar conta do ocorrido, Noé amaldiçoou o filho de Cam (Canaã), predizendo que sua descendência serviria às decendências de Sem e Jafé.

A cada um deles foi entregue uma região (ver mapa) e Cam entregou a seu filho Canaã a região que levou seu nome, onde futuramente seria a Terra Prometida a Abraão, reconquistada pelos Hebreus (descendentes de Sem) ao voltarem do exílio no Egito.

A Sem, foi entregue a região que incluiría Ur, na Caldéia, de onde sairía Abraão. Por esta razão o povo Hebreu/Judeu é conhecido como Semita, por serem descendentes de Sem.

Importante lembrar que o território de Canaã não foi tomado à força, mas comprado por Abraão à medida que cumpria sua viagem demonstrada no mapa e detalhada abaixo.

1. Aproximadamente no ano de 1900 a.C., Abrão (ainda com este nome) recebe o chamado de Deus para sair de UR com toda sua familia que alí vivia para seguir para a terra que lhe seria indicada;

2. Abrão e família (incluindo Lot, filho de seu irmão falecido Arão), se estabelecem em HARÃ e alí permanecem até a morte de seu pai, Terah. Novo chamado de Deus o faz sair com sua esposa Sarai em direção à região de Canaã - Abrão tinha 75 anos;

3. No caminho, Abrão cruza a cidade de Damasco (Mesopotâmia) e, neste época, deve ter adquirido seu servo Eliezer, que aparece futuramente em sua prece a Deus por descendência;

4. Abrão chega à terra de Canaã e se estabelece primeiramente em Siquém, onde Deus novamente se comunica com ele confirmando suas promessas. Alí, Abrão erege seu primeiro altar a Deus;

5. Abrão retoma sua viagem ao sul, e se instala nas encostas de uma montanha tendo Betel ao ocidente e Hai ao oriente. Alí Abrão edifica seu segundo altar a Deus;

6. Seguindo caminho, Abrão levanta seu acampamento na localidade de Negeb, onde após algum tempo sobrevêm um difícil e longo período de fome na região, quando Abrão decide seguir para o Egito onde ficará por algum tempo;

7. Chegando ao Egito, Abrão engana o Faraó para proteger sua vida, mentindo ser casado com Sarai. Ao descobrir ter sido enganado após ser punido por Deus por tomar Sarai como esposa, o Faraó os expulsa do Egito mas permite que deixem suas terras com todas as suas posses. Ló, seu sobrinho, segue com eles;

8. Abrão volta para Canãa e se estabelece novamente em seu acampamento em Betel. Ali chegando, no altar anteriormente construído, clama ao Senhor. Neste momento, discussões começam a acontecer entre os pastores de Lot e de Abrão - para evitar uma discórdia, decidem se separar mantendo boa relação - Lot ficou com a área Oriental na planície do Jordão até Sodoma e Abrão ficou com a área ocidental de Canaã, estabelecendo-se no vale dos carvalhos de Mambré, em Hebron, onde ergueu mais um altar ao Senhor;

9. Quatro reis do Oriente conquistaram o vale do Jordão e levaram consigo como prisioneiro Lot e sua família - ao ser informad, com 318 guerreiros de sua tribo, os perseguiu até a cidade de Dã, entre Hazor e Damasco;

10. Abrão e seu grupo atacam à noite o acampamento dos reis, localizado em Hobah (próxima a Damasco) e resgata Lot, sua família e retoma tudo que havia sido saqueado pelos reis em suas vitórias;

11. Em seu caminho de volta ao Hebron, passa pela cidade de Salém (futuramente Jerusalem) e se encontra com Melquisedeque, rei e sacerdote do Altíssimo (primeira menção à palavra sacerdote na Bíblia). Após compartilharem pão e vinho, Abrão oferece o dízimo de tudo que recuperou a Melquisedeque. Ao rei de Sodoma que também ali se encontraa, Abrão oferece de volta os homens capturados e recuperados e seus bens - este rei faz menção de aceitar somente os homens de volta mas Abrão se nega para não ficar em dívida;

12. Abrão volta a Hebron e ali, Deus confirma sua aliança com um sacrifício por Abrão, estabelecendo pela primeira vez a regra da circuncisão - neste momento, Deus muda seu nome para Abraão e é onde nasce seu primeiro filho, Ismael, com a escrava de Sarai, Agar. Enquanto ali vivia, é visitado por Deus e seus anjos que iam a caminho de destruir Sodoma e Gomorra.;

13. Deus modifica o nome de Sarai para Sara, e reconfirma sua intenção de dar a Abraão uma grande descendência. Abraão sai de Hebron e vai para a região dos Filisteus, estabelecendo-se em Gerara, na região do Negeb. Ali, de forma quase idêntica ao ocorrido no Egito, Abraão engana Abimelec, rei de Gerara, dizendo que Sara era sua irmã. Abimelec a toma por esposa e Deus o pune esterilizando todas as mulheres e filhas. Abimelec se queixa a Abraão por ter sido enganado, mas estabelece com ele uma aliança, ofertando-lhe rebanhos, servos e dinheiro, devolvendo-lhe Sara, pedindo sua intercessão junto a Deus que o escuta e devolve a todos a saúde;

14. Abraão permanece em Bersabéia, na região de Gerara, por algum tempo. Esta localidade também é conhecida como local do Poço da Promessa, onde mais uma vez Abimelec e Abraão trocaram ofertas e prometeram aliança entre si. Ali, Sara dá a luz a Isaac e expulsa sua serva Agar e o filho Ismael para o deserto, onde são visitados por um anjo que os cuida. Abraão é instruído a oferecer a seu filho Isaac a Deus no monte Moriá e teve reconfirmada sua aliança com Deus por manter sua obediência e fé no Senhor, que o impediu de terminar com o sacrifício, mantendo Isaac vivo;

15. Com a morte de Sara, Abrão retorna para Hebron e ali compra a caverna de Macpela, defronte de Mambré, onde a sepulta. Anos depois, ali também descansaría após sua morte.

O Êxodo (do Egito à Terra Prometida)

1. O povo de Israel deixa o Egito (Ex. 12; Num. 33:5)

2. Assim que os Hebreus deixaram este que foi seu primeiro acampamento, Jehová os guiou de dentro de uma coluna de fumaça de dia, e de uma coluna de fogo à noite (Ex 13:20–22)

3. Os Hebreus cruzam aqui o Mar Vermelho (Ex. 14; Núm. 33:8)

4. O Senhor curou as águas de Mara (Ex. 15:23–26)

5. O Povo de Israel acampou junto às doze fontes de água (Ex. 15:27)

6. O Senhor enviou maná e codornas para alimentar Seu povo (Éx. 16)

7. O povo Hebreu lutou contra Amalec (Ex. 17:8–16)

8. No Monte Sinai (ou monte Horeb ou ainda Jebel Musa), o Senhor entrega seus Dez Mandamentos (Ex. 19–20);

9. Ainda no deserto do Sinai, os Hebreus constroem o primeiro Tabernáculo seguindo instruções de Deus a Moisés (Ex. 25–30)

10. São chamados 70 anciãos os quais ajudariam a Moisés no governo do povo Hebreu (Núm. 11:16–17)

11. O povo de Israel atravessou pacificamente as terras de Esaú y de Amón (Dt. 2).

12. Desde Cades-Barnea, Moisés enviou espiões à Terra Prometida. O Povo de Israel se rebelou e foi impedido de entrar na Terra Prometida por muitos anos - durante este período. Cades serviu de acampamento principal para os Hebreus (Núm. 13:1–3, 17–33; 14; 32:8; Dt. 2:14).

13. O povo de Israel decide contornar para evitar confrontos e conflitos com Edom y Moab (Núm. 20:14–21; 22–24).

14. Ao lado do Río Arnón, Israel destruiu os Amoreus com quem lutaram (Dt. 2:24–37)

15. No Monte Nebo, Moisés contemplou a Terra Prometida (Dt. 34:1–4) e pronunciou seus três últimos discursos (Dt 1–32)

16. Na planície de Moab Jehová disse ao Povo de Israel que dividisse a terra e que expulsasse seus habitantes (Núm. 33:50–56).

17. No Rio Jordão, os Hebreus o cruzaram sobre terra seca. Próximo de Gilgal, colocaram pedras no leito do Rio Jordão em comemoração pela divisão de suas águas (como ocorrera no Mar Vermelho) (Josué 3:1–5:1)

18. O Povo de Israel tomou a cidade de Jericó e a destruiram (Josué 6).

A divisão da Terra Prometida entre as tribos

As doze tribos de Israel normalmente são associadas aos doze filhos de Jacó (renomeado por Deus a Israel após sua luta com o Anjo do Senhor por sua bênção). Na verdade, nem todos os filhos de Israel receberam terras na Terra Prometida:

1. O mais famoso destes filhos de Jacó, José, que se tornou importante figura no Egito após suas interpretações dos sonhos do Faraó que salvaram o reino da fome, nunca chegou a sair do Egito. Ele faleceu e seus restos mortais foram levados pelo povo no êxodo para ser enterrado junto a seu pai. Seus dois filhos, Manasés e Efraín, receberam terras. Isso nos leva a uma pergunta: se José não recebeu terras mas seus dois filhos sim, então seriam 13 tribos, certo? Na verdade não. Há que lembrar-se que à tribo de Levi foi atribuída a responsabilidade de assumirem responsabilidades sacerdotais e cuidar de tudo relativo à religião e ao Templo. Esta tribo, portanto, não recebeu terras já que se concentraram na região de Jerusalém;

2. Outro detalhe interessante é que a tribo de Dã recebeu dois territórios: o primeiro próximo à terra onde viviam os Filisteus, no litoral; o segundo se localizava ao norte do Mar da Galiléia, e incluía a cidade com o mesmo nome, ao sul deste território. Com o passar do tempo, o território próximo ao litoral seria perdido.

As doze tribos se dividiram em dois reinos: Israel ao Norte e Judá ao Sul. David iria, ao ser ungido por Deus para reinar sobre todo o povo, reunido tais reinos. Veja no próximo mapa.

03 As Doze Tribos de Israel

Os reinos de Saúl e Davi

---

04 Imperiod David Salomão